Quinta-feira, 5 de Abril de 2007

Pedra Seca

 

 

 Massajar polido,
 Pedra seca,
 Cinzenta à beira-mar,
 Sozinha pesa,
 Só desespera,
 Pelo sal que tende a se distanciar.
 
 Massajar fragmento,
 Pedra Seca,
 Cinzenta à mercê dos teus passos,
 Sozinho andas,
 Só a vês,
 Pela razão de a poderes molhar,
 Em águas salgadas...
 Maresias de ti...
 
 
João Gouveia 5/04/07
 

publicado por Profeta às 21:41
link do post | favorito
1 comentário:
De aquiloqueeuescrevo a 12 de Abril de 2007 às 11:03
Já tive hipótese de te dizer que adorei este poema. De uma coisa tão pequena e sobre a qual talvez a maioria não debruce sequer o seu olhar de forma mais atenta, tu fizeste um poema belíssimo.
Obrigada pelo prazer que me dá a tua escrita!
Um beijo*


Comentar post


§ ver perfil

§ seguir perfil

. 1 seguidor

§Junho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


§Profecias

§ Álvaro de Campos - "Acord...

§ O Piano

§ Placar

§ Chuva

§ Ciclo

§ Porquê: Texto Crepuscular

§ Estonteamentos Turvos

§ Traços de uma Miúda

§ Adormecido

§ Lírios Sádicos e Perpétuo...

§ Mentira

§ Seis Meses - Devagar

§ "Falta Cumprir-se Portuga...

§ Pedra Seca

§ Adeus Coimbra, Adeus Port...

§ A Profecia, A Asma e o Ob...

§ Fase II - O Adeus à Casa ...

§Antigo Testamento

§ Junho 2007

§ Maio 2007

§ Abril 2007

§ Março 2007